Cruzeiros Liberais uma opção erótica para casais

A temporada de cruzeiros liberais de 2017 contará com uma viagem dedicada a casais adeptos do “swing” entre seus roteiros. A agência Casal First Tour anunciou que já iniciou as vendas do cruzeiro “Desire Cruise 2017”. Que sairá da itália no dia 26 de setembro de 2017 e, durante oito dias, visitará Itália, Croácia, Slovenia e retorna para a Itália.

A jornada terá capacidade para comportar centenas de casais e a faixa etária do público do navio deve variar, em média, entre 35 e 50 anos.
A bordo, os hóspedes têm a opção de não usar roupa. “A nudez não é obrigatória”, informa a First Tour.Além de visitar os destinos italianos, croatas e eslovacos, os hóspedes participarão de festas do navio que são classificadas como “charmosas e sensuais”. Relações íntimas, porém, só podem ocorrer em alguns espaços determinados da embarcação.

Os pacotes da viagem custarão a partir de US$ 2.883,00 por pessoa. O preço abrange todas as refeições a bordo, mas não inclui bebidas alcoólicas. Porém com o agendamento prévio será possível obter desconto de até US$ 600,00 dependendo das acomodações.

Na piscina dos navios, a paquera rola solta e o clima é quente, mas o sexo explícito é proibido
“A primeira coisa a desmistificar é que, ao contrário do que a maioria das pessoas imagina, os casais não ficam transando que nem loucos o tempo todo da viagem”, diz Paulo, explicando que o sexo acontece mais intensamente quando anoitece. “É claro que durante o dia, a paquera rola solta entre os casais, o que vai criando um clima de intimidade, as pessoas vão se conhecendo e descobrindo afinidades”, completa.

Praticante de swing há mais de cinco anos, o casal formado por Gustavo, 39 anos, e Sol, 42, que prefere não revelar seu sobrenome, conhece bem esse flerte que rola a bordo. “No final da tarde, muitos casais vão à piscina tomar sol, você pode ficar nu, de biquíni ou do jeito como preferir. O clima esquenta quando começam as brincadeiras”, conta ela, referindo-se às atividades recreativas promovidas pelos organizadores da viagem: desde desfiles de lingeries a shows de sedução que, embora não mostrem cenas de sexo explícito, são bastante eróticos.

Além do ambiente da piscina, outra área onde o clima fica mais quente é a boate. “Toda noite, depois do jantar, os casais vão para lá, eventualmente vestidos de acordo com um tema proposto, que pode ser ‘Noite do Branco’ ou ‘Noite das Máscaras'”, detalha Sol. “Neste local a paquera é intensa, muitos dançam coladinhos e as mulheres começam a se beijar”, completa a suingueira.

Mesmo na piscina e na boate do navio, no entanto, apenas a paquera e as brincadeiras eróticas são permitidas. Sexo, só nas cabines ou no playroom.

E é no playroom que o sexo coletivo acontece. São várias camas artisticamente arranjadas e que podem ser parcialmente separadas por véus transparentes. Decorado com imagens eróticas, o playroom fica aberto até de madrugada. Sempre à meia luz, “os casais podem fazer trocas, transarem em grupos ou exibirem-se uns para os outros”, revela Gustavo.

cruzeiros liberais foto 2
O playroom é o lugar da ação nos cruzeiros liberais. Lá, a nudez e o sexo são liberados

Como Gustavo sugere, nem todos os pares a bordo se comportam do mesmo modo no playroom.

De maneira geral, eles podem ser divididos em: voyeurs, aqueles que apenas observam os outros casais em ação; exibicionistas, que gostam de transar em público, mas não fazem trocas; softs, que topam fazer as preliminares com outros, mas penetração só com o(a) parceiro(a); os que curtem sexo a três, na maioria da vezes, um casal acompanhado de uma mulher; e os troca-troca geral, para quem vale-tudo, sem restrições.

“É comum que um casal que viaja pela primeira vez neste tipo de cruzeiro apenas observe e não faça sexo com outro casal”, avalia Paulo. “Nas viagens seguintes, ele vão se soltando e começam a praticar o swing com mais naturalidade”, prossegue.

O PREÇO DA DISCRIÇÃO

De acordo com Paulo, os brasileiros exigem muito mais discrição do que os europeus e americanos na hora de contratar cruzeiros liberais. “Eles têm pavor que outras pessoas fora do meio do swing saibam que fazem esse tipo de viagem. Muitos até contratam o serviço diretamente no exterior para tentar se proteger ainda mais”, aponta o empresário.

Alguns casais preferem eles mesmos organizarem a viagem junto com outros suingueiros, sem intermediários, para evitar possíveis indiscrições. Esse é o caso de Gustavo e Sol, que até criaram o blog Solenieve para reunir os interessados em cruzeiros liberais para casais adeptos.

cruzeiros-liberais-foto3

Fazer esse tipo de turismo não custa barato. Como nenhum dos cruzeiros liberais partem do Brasil, as viagens têm que ser feitas no exterior. Isso que encarece mais a conta.

“Em média, uma cabine para dois custa R$ 8 mil e você tem que somar a isso os R$ 2 mil da passagem aérea, por pessoa, até o destino da partida do navio”, calcula Sol.

“Isso acaba restringindo o público a casais com alto poder aquisitivo e não tão jovens, a faixa etária fica entre 35 e 50 anos”, acrescenta Paulo.

Independentemente das restrições financeiras, esse nicho do mercado de Turismo não é nada pequeno. Numa estimativa para a rede de TV americana ABC, o site AdultFriendFinder, uma das maiores comunidades online de troca de casais, calculou que há atualmente 10 milhões de praticantes de swing no mundo. Público suficiente para lotar vários navios como o que passou pela Europa em junho.
Ofertas no exterior

Se no Brasil os cruzeiros liberais ainda não são difundidos, no exterior a realidade é diferente. Existem diversas empresas estrangeiras que vendem viagens marítimas para casais liberais. Confira algumas abaixo:

Swing Ship: www.swingship.com

The Swinger Cruise: www.theswingercruise.com/cruises.html

LifeStyle Cruise: www.lifestylescruise.com

Abaixo, veja o roteiro do “Desire Cruise 2017”:

26 de setembro – Venice, Itália

27 de setembro – Bologna, Itália

28 de setembro – Split, Croácia

29 de setembro – Dubrovnik, Croácia

30 de setembro – Zadar, Croácia

01 de outubro – Koper, Eslovênia

02 de outubro – Venice, Itália

03 de outubro – Venice, Itália

 

Mais informações: casalfirsttour.com.br

Reinaldo Espada

Editor e Redator da Revista Swing, aficcionado em filmes, super antenado em novidades tecnológicas, adora casas de swings e encontros liberais. Forma um casal liberal com a Raissa Espada sua esposa CRS 43965 .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *